domingo, 29 de junho de 2014

50 motes de Cantoria de viola


TEMAS DESENVOLVIDOS POR POETAS CANTADORES NO 5º DESAFIO DE CAMPEÕES DO REPENTE, em Campina Grande – PB, em 18/03/2005 

TEMAS EM SETE SÍLABAS 

·Sou boêmio apaixonado nas madrugadas da vida 
·Bebi o sal do seu pranto na hora da despedida 
·Quem agride a natureza não respeita o Criador
 ·A chuva custou, mas veio para alegrar o sertão 
·Quem quer escutar repente valoriza o cantador 
·Eu sou muito satisfeito com a minha profissão 
·DEUS me dá inspiração na construção do repente 
·O vento carrega a dor, mas não leva a cicatriz 
·A medicina não cura as mágoas de um coração 
·Hoje só resta a carcaça da casa que nasci nela
 ·Quando o cachorro latiu o pai dela se acordou 
·Fumar não distrai, destrói a vida do viciado 
·Meu fardo é muito pesado pra cantador carregar 
·Minha história é tão sofrida que eu vou morrer sem contar 
·No fogo do seu abraço embalei minha paixão 

TEMAS EM DEZ SÍLABAS 

·A velhice chegou pra me avisar que o final da jornada está chegando
 ·Todo velho carrega na lembrança um história bonita pra contar 
·A viola é a única companheira do poeta na sua solidão 
·A cidade que moro é diferente do pedaço de chão que fui criado
 ·Só a neblina da neve da saudade enverdece o jardim do nosso amor 
·Sinto sede das lágrimas dos teus olhos, sinto fome do pão do teu amor 
·Eu dormindo sonhei que te beijava, acordei não te vi, fiquei chorando
 ·Sua fama foi mal adquirida, vou provar que você não canta nada 
·Sonhei alto demais quando pensei que o mundo ia ser como eu queria
 ·A ciência evolui a cada dia, mas não pode clonar o cantador
 ·Na estrada que passa uma saudade, eu só ando se for na contramão 
·O dinheiro é o único causador dos maiores problemas sociais
 ·Sem emprego, sem teto e sem dinheiro, vou em busca de um canto pra viver 
·Sobre as águas barrentas da enchente vejo o peixe varando a correnteza 
·Nos esteios da casa onde morei tem a tisna do gás da lamparina 
·Nos escombros da vida eu resgatei um passado de dor e desengano
 ·Perguntei pra saber, ninguém me disse, vou ficar perguntando até saber 
·Quem precisa mudar é a riqueza, que a pobreza não tem o que mudar 
·Foi fugindo da seca que eu deixei minha roça sem nada pra colher 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marcadores